News

Quatro mortos em chuvas torrenciais na Coreia do Sul

A agência meteorológica diz que a gravidade da precipitação só é vista “uma vez a cada 200 anos”.

Chuvas torrenciais atingiram partes da região sul da Coreia do Sul, matando pelo menos quatro pessoas e causando caos nas viagens.

Fortes precipitações danificaram propriedades, estradas e infraestrutura, com alertas de deslizamentos de terra para pelo menos 50 regiões e mais de 3.500 pessoas desabrigadas, informou o Ministério do Interior e Segurança na quarta-feira.

“Peço que as pessoas evitem ir a vagas de estacionamento subterrâneas, passagens subterrâneas e riachos durante chuvas fortes”, disse o Ministro do Interior Lee Sang-min em um comunicado.

Dados do departamento de meteorologia mostraram que três áreas – Geumsan, Chupungnyeong e Gunsan – sofreram algumas das chuvas mais fortes já registradas.

“Foi um nível de severidade visto uma vez em cerca de 200 anos”, disse um funcionário não identificado da agência meteorológica à agência de notícias Yonhap da Coreia do Sul.

Uma mulher carregando pertences atravessa uma rua inundada em Daegu [Yonhap via Reuters]

Na quarta-feira, 131,7 mm (5,4 polegadas) de chuva caíram em uma hora, mais de 10 por cento da precipitação média anual da área da cidade de Gunsan.

Emissoras sul-coreanas mostraram imagens de rios transbordando e estradas inundadas, com pessoas vadeando em águas na altura da cintura em algumas áreas. Quatro pessoas morreram em consequência da chuva torrencial.

A chuva inundou um prédio de apartamentos em Nonsan, com um homem morrendo em um elevador.

Uma casa desabou após ser atingida por um deslizamento de terra em Seocheon, e os socorristas encontraram um homem de 70 anos lá dentro. Ele foi levado para um hospital, mas depois foi declarado morto.

Outro homem na faixa dos 70 anos morreu depois que seu carro caiu em um riacho transbordado, e um fazendeiro na faixa dos 60 anos morreu em Daegu depois de ser sugado para dentro de um sistema de drenagem enquanto inspecionava sua fazenda.

A Coreia do Sul também registrou chuvas e inundações recordes em 2022, que mataram pelo menos 11 pessoas.

Source link

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button